Serviços – Empresa Júnior

Serviços – Empresa Júnior

Apresentação
Constituição
Estatuto
Apresentação

A Empresa Júnior da Faculdade Barretos tem a satisfação de apresentar-lhe nosso estatuto. Um modelo atualizado, baseado em nossa realidade, que foi criado em 1999, com o objetivo de expandir o Movimento Empresa Júnior e garantir um padrão de qualidade.

Em virtude da necessidade de adequação, face às mudanças de mercado, tornou-se mais uma vez necessária a sua revisão neste ano de 2015. É válido ressaltar, a Empresa Junior possui uma função orientadora e, por isso, sempre terá o acompanhamento do conselho de professores.

Essas informações preliminares básicas são necessárias para entendimento  de uma Empresa Júnior, colocamo-nos à sua inteira disposição para posteriores esclarecimentos.

A EMPRESA JÚNIOR, HISTÓRICO E SEUS OBJETIVOS

O que é Empresa Júnior?

A Empresa Júnior é uma Associação Civil sem fins lucrativos formada e gerida por estudantes, que visa a capacitação humana e profissional dos seus membros através da prestação de serviços de assessoria empresarial e da vivência de uma pequena empresa.

Ambiente profissional, onde o estudante procura desfrutar a vida universitária intensamente, aprendendo a colocar os sonhos em prática.

Qual a sua trajetória?

A Empresa Júnior surgiu em 1969, na França, através de um grupo de estudantes, visando suprir algumas deficiências da grade curricular do curso de Administração. A concepção deste modelo de empresa se propunha a aplicação dos conhecimentos teóricos à prática. A idéia foi trazida ao Brasil pela Câmara Franco-brasileira, em 1989, tendo sido constituída a primeira Empresa Júnior, Fundação Getúlio Vargas – FGV . A Empresa Júnior ADM – UFBA foi a segunda criada na país e a primeira do Estado da Bahia, o que aconteceu no dia 03 de outubro de 1989.

Quais são os seus objetivos?

  • Fazer com que seus membros apliquem na prática os conhecimentos teóricos relativos a formação profissional;
  • Colocar seus membros em caráter de treinamento no mercado, com a devida orientação técnica e profissional de orientadores;
  • Elaborar estudos e relatórios sobre assuntos específicos da sua área de atuação;
  • Assessorar a implantação das soluções indicadas para os problemas diagnosticados;
  • Valorizar os alunos e professores junto ao meio acadêmico, profissional e social;
  • Formar uma rede de contatos com estudantes, professores e profissionais;
  • Participar ativamente do movimento estudantil. 

LOGO-EMPRESA-JÚNIOR

Constituição

CONSTITUIÇÃO DA  Empresa Júnior de Consultoria e Projetos.

Faculdade Barretos –2014/2015

De acordo com o disposto no Estatuto Empresa Júnior de Consultoria e Projetos, os alunos regularmente matriculados completam os seguintes cargos:

Presidente

Gustavo Rodrigues Figueiredo

Vice-Presidente

Lucas Salvino

Administrativo e Financeiro

Lucíola Bonfante

Paulo Viana

Andrea Campos Borges

Leonardo Geyer

Comercial

Adriano Nakamura

Lucas Salvino

Marketing e Projetos

Lucas Marcolino

Rafael Vilela

Taisa Tavares

Recursos Humanos

Luiz Henrique de Oliveira

Raquel Carleto

Rafael Fernandes

Mariana Cleber

Professor Responsável

Nádia de Castro Carvalho

Conselho de Administração

Prof. Me Evandro Saturi

Prof. Me. Andre de Carvalho Ministro

Conselho de Ciências Contábeis e Fiscal

Prof. Me. Luiz Fernando Machado

Conselho Jurídico

Profa. Me. Debora Vasconcelos

Conselho Responsabilidade Social

Prof. Dr. Rodrigo Ruiz

Conselho Psicologia Organizacional

Profa. Dra. Fabiana Faria

Conselho Econômico

 Profa. Me. Sarah Diniz

Conselho Sistema de Informação

Prof. Andre Luis Zanon

Estatuto

ESTATUTO SOCIAL DA EMPRESA JÚNIOR – “ADM-EXECUTIVO JÚNIOR”-  DA FACULDADE BARRETOS

CAPÍTULO I - DENOMINAÇÃO, SEDE, FINALIDADE E DURAÇÃO

Artigo 1º - A ADM-Executivo Júnior é uma associação civil, sem fins lucrativos e com prazo de duração indeterminado, município de Barretos Estado de São Paulo, e com foro jurídico na comarca de Barretos-SP, que se regerá pelo presente estatuto e pelas disposições legais aplicáveis.

Artigo 2º - A ADM-Executivo Júnior tem por finalidade:

  1. a) proporcionar a seus Membros Efetivos condições necessárias à aplicação prática de conhecimentos teóricos relativos à sua área de formação profissional;
  1. b) direcionar os seus Membros Efetivos no mercado de trabalho, com o objetivo de treiná-los para o exercício da futura profissão, sempre com respaldo técnico-profissional competente;
  1. c) realizar estudos e elaborar diagnósticos e relatórios sobre assuntos específicos de sua área de atuação;
  1. d) assessorar a implantação de soluções indicadas para os problemas diagnosticados;
  1. e) incentivar o espírito empreendedor dos discentes membros; e
  1. f) valorizar discentes e docentes da Faculdade Barretos no mercado de trabalho e no âmbito acadêmico, bem como a referida Instituição.

CAPÍTULO II - QUADRO SOCIAL, DIREITOS E DEVERES

Artigo 3º - Os membros da ADM-Executivo Júnior serão admitidos por um processso seletivo realizado pelo Conselho de Administração, e poderão ser de três categorias:

  1. a) MEMBROS HONORÁRIOS: toda a pessoa física ou jurídica que tenha prestado relevantes serviços para o desenvolvimento dos objetivos da ADM-Executivo Júnior;
  1. b) MEMBROS ASSOCIADOS: toda pessoa física ou jurídica que interessada na integração Universidade/Empresa e na difusão dos serviços prestados pela ADM-Executivo Júnior, contribua com aporte financeiro para a condução de suas atividades e consecução de suas finalidades;
  1. c) MEMBROS EFETIVOS: são os alunos do curso de Administração da Faculdade Barretos que estejam participando de alguma atividade ou função na ADM-Executivo Júnior (conselheiros, diretores, consultores e assessores) e que estejam em dia com suas obrigações junto à instituição;

Parágrafo Único: caso um Membro Efetivo gradue-se no meio de um projeto, ele continuará como Membro Efetivo até a conclusão do mesmo.

Artigo 4º - São direitos dos Membros Efetivos:

  1. a) votar nas Assembléias Gerais;
  1. b) solicitar, a qualquer momento, informações relativas à ADM-Executiva Júnior;
  1. c) utilizar todos os serviços colocados à sua disposição pela ADM-Executiva Júnior;
  1. d) ser eleito membro do Conselho de Administração, Diretoria Executiva e do Conselho Fiscal;
  1. e) requerer a convocação da Assembléia Geral na forma prevista neste estatuto.
  • 1º: Para ser eleito o aluno do curso de Administração deverá ter cursado no mínimo 1 (um) semestre.
  • 2º: É vetada a candidatura do aluno do curso de administração matriculado no 8º (oitavo) semestre.

Artigo 5º - São deveres de todos os Membros Efetivos da ADM-Executiva Júnior;

  1. a) respeitar o Estatuto bem como as deliberações da Assembléia Geral, do Conselho de Administração, da Diretoria Executiva e do Conselho Fiscal;
  1. b) exercer diligentemente os cargos para os quais tenham sido eleitos, em se tratando de Membros efetivos;

Artigo 6º - Perde-se a condição de membro da ADM-Executiva Júnior:

  1. a) pela sua renúncia;
  1. b) pela conclusão ou abandono do curso na Faculdade Barretos, em se tratando de Membro Efetivo, salvo disposições em contrário neste Estatuto;
  1. c) pelo jubilamento do curso na Faculdade Barretos, em se tratando de Membro Efetivo;
  1. d) pela morte, no caso de pessoas físicas, ou pela cessação de suas atividades, no caso de pessoa jurídica;
  1. e) por decisão de 2/3 (dois terços) dos membros do Conselho de Administração, fundada na violação de quaisquer das disposições do presente Estatuto.
  1. f) por decisão de 2/3 dos membros do Conselho de Administração, fundamentada no não cumprimento das responsabilidades às quais se dispôs o membro efetivo (diretor, consultor, conselheiro ou assessor), ou por ato que direta ou indiretamente possa afetar a reputação da ADM-Executiva Júnior.

CAPÍTULO III - PATRIMÔNIO

Artigo 7º - O patrimônio da ADM-Executiva Júnior será composto:

  1. a) pelas contribuições de membros da mesma;
  1. b) pelo produto de contribuições recebidas por serviços prestados a terceiros;
  1. c) pelas contribuições voluntárias e doações recebidas; e
  1. d) por subvenções e legados oferecidos e aceitos pelo Conselho de Administração.

CAPÍTULO IV - ASSEMBLÉIA GERAL

Artigo 8º - A Assembléia Geral é o órgão de deliberação soberano da ADM-Executiva Júnior e poderá ser Ordinária ou Extraordinária.

Artigo 9º - Somente os Membros Efetivos terão direito de voto nas Assembléiras Gerais, correspondendo um voto a cada Membro Efetivo, vedada a representação, nas Assembléias Gerais, por procuração.

Artigo 10 - As Assembléias Gerais serão convocadas pela Diretoria Executiva ou pelo Conselho de Administração, ou a requerimento de Membros Efetivos representando, no mínimo, 30% (trinta por cento) dos Membros Efetivos da ADM-Executiva Júnior.

Artigo 11 - A Assembléia Geral Ordinária reunir-se-á duas vezes por ano, para eleição de Diretoria Executiva, Conselho de Administração e do Conselho Fiscal.

Artigo 12 - A Assembléia Geral Ordinária destina-se a tomar as contas da Diretoria Executiva e deliberar sobre as demonstrações financeiras relativas ao exercício findo, examinar e discutir o Relatório de Atividades elaborado pela Diretoria Executiva, eleger os membros do Conselho de Adminstração, da Diretoria Executiva do Conselho Fiscal

Artigo 13 - A Assembléia Geral Extraordinária reuni-se-á a qualquer tempo, por convocação da Diretoria Executiva ou do Conselho de Administração, e sempre que exigirem os interesses sociais, conforme disposto no Artigo 10º.

Artigo 14 - Serão nulas as decisões da Assembléia Geral sobre assuntos não incluídos na Ordem do Dia a não ser que haja voto por maioria simples a favor da maioria do Membros Efetivos.

Artigo 15 - A instalação da Assembléia Geral requer a presença de, no mínimo, metade mais um dos Membros Efetivos, e suas decisões serão sempre tomadas por maioria simples de votos dos presentes, a não ser que disposto de forma distinta neste Estatuto.

Parágrafo Único: Se à hora marcada para a Assembléia Geral não houver quorum para a sua instalação, esta instalar-se-á com a presença de pelo menos metade do número de Membros Efetivos, decorridos, no mínimo, trinta minutos da hora prevista para sua instalação, sendo válidas as decisões por ela tomada.

Artigo 16 - A Assembléia Geral será presidida pelo Presidente da ADM-Executiva Júnior ou pelo substituto legal e as funções de secretário “Ad doc” da Assembléia Geral serão desempenhadas por quaisquer dos Membros Efetivos, escolhido pela Assembléia Geral por aclamação.

Artigo 17 - À Assembléia Geral caberá aprovar e emendar os regimentos internos a serem encaminhados pela Diretoria Executiva.

Artigo 18 - As reuniões das Assembléias Gerais deverão ser registradas em atas, havendo revezamento de relatores.

CAPITULO V – DAS ELEIÇÕES

Artigo 19 - Todos os candidatos a Diretoria Executiva, Conselho de Administração e Conselho Fiscal da ADM-Executiva Júnior deverão fazer parte do corpo discente da Faculdade Barretos.

Artigo 20 - As eleições serão realizadas sempre no mês de outubro de cada ano, em Assembléia Geral convocada para este fim.

Artigo 21 - O edital de convocação para a candidatura de discentes aos cargos será publicado sempre na primeira semana de outubro de cada ano.

Parágrafo Único - O acadêmico somente poderá se candidatar mediante a formação de uma chapa que esteja apta a preencher todas os cargos da Diretoria Executiva, Conselho Fiscal e do Conselho de Administração. Nunca individualmente.

Artigo 22 - O edital de convocação dos acadêmicos do curso de Administração será divulgado sempre 15 (quinze) dias antes da data agendada para a eleição, respeitando-se o disposto no art. 20.

  • - Todos os acadêmicos dos cursos de Administração, regularmente matriculados na Faculdade Barretos, poderão participar do processo eleitoral.
  • - O edital deverá ser amplamente divulgado junto aos acadêmicos, por meio de comunicação verbal, afixação de cópias de documento em locais de ampla circulação, podendo-se ainda, caso haja necessidade, optar-se também pela veiculação do documento em jornais de pequena, média e grande circulação.
  • - Cada acadêmico terá direito a um único voto, não podendo votar por procuração.
  • - Para que a eleição ocorra de maneira idônea e isenta, cabe à Diretora Executiva em vigência selecionar dois discentes do curso de Administração, que não sejam candidatos e que não façam parte da Diretoria Executiva, Conselho de Administração e Conselho Fiscal vigente.
  • - As votações sempre serão secretas.

CAPÍTULO VI - CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

Artigo 23 - O Conselho de Administração é o órgão de deliberação da ADM-Executiva Júnior, composto por 5 (cinco) membros, sendo 3 (três) Membros Efetivos e 2 (dois) Membro Honorário, eleitos pela Assembléia Geral Ordinária, para mandato de um ano, podendo ser reeleitos.

Artigo 24 - O presidente do Conselho de Administração será escolhido pelos membros que o integram.

Artigo 25 - As reuniões do Conselho de Administração somente serão instaladas com a presença de 2/3 (dois terços) de seus membros e as decisões serão tomadas por maioria absoluta de votos dos membros presentes, observadas as exceções estabelecidas no presente Estatuto.

Artigo 26 - O Conselho de Administração reunir-se-á sempre que necessário e/ou julgar conveniente, mediante convocação, pelo seu presidente, com antecedência mínima de sete dias.

Parágrafo Único: As reuniões do Conselho de Administração deverão ser convocadas pelo seu presidente, a requerimento de, no mínimo, 2/3 (dois terços) de seus membros ou a requerimento da Diretoria Executiva.

Artigo 27- Compete ao Conselho de Administração:

  1. a) regulamentar as deliberações da Assembléia Geral;
  1. b) examinar e emitir parecer sobre as demonstrações financeiras, relatórios de atividades e orçamentos do exercício, apresentados pela Diretoria Executiva, previamente à aprovação pela Assembléia Geral;
  1. c) estabelecer as diretrizes funtamentais da ADM-Executiva Júnior;
  1. d) manifestar-se sobre propostas e matérias que lhe sejam submetidas pela Diretoria Executiva;
  1. e) aprovar a admissão de membros da ADM-Executiva Júnior e a perda de condição de membro da ADM-Executiva Júnior, em caso de violação de disposições do presente Estatuto;
  1. f) aprovar a perda de condição de membro do próprio Conselho de Administração, mediante o voto favorável de 2/3 (dois terços) dos seus membros;
  1. g) aceitar subvenção e legados;
  1. h) aprovar as contribuições regulares fixas pela Diretoria Executiva e por esta encaminhadas ao Conselho de Administração.
  1. i) indicar os substitutos de conselheiros no caso de impedimentos temporários e definitivos dos mesmos, sendo que, no caso do Presidente do Conselho seu substituto será necessariamente um outro conselheiro ativo indicado pelo próprio Conselho.

j).Tomar posse junto à Diretoria Executiva

Parágrafo Único: É facultativa a indicação de um conselheiro substituto quando do impedimento temporário ou definitivo de até dois dos membros ativos do mesmo, ficando à cargo do Conselho esta decisão.

CAPÍTULO VII - DIRETORIA EXECUTIVA

Artigo 28 - A Diretoria Executiva é investida dos poderes de Adminstração e representação da ADM-Executiva Júnior, de forma a assegurar a consecução de seus objetivos, observando e fazendo observar o presente Estatuto e as deliberações da Assembléia Geral.

Artigo 29 - A Diretoria Executiva será composta de 7 (sete) membros eleitos pela Assembléia Geral Ordinária entre os Membros Efetivos da ADM-Executiva Júnior, para mandato de um ano.

Artigo 30 - A Diretoria Executiva será composta de um Diretor Presidente, Vice-Diretor Presidente, um Diretor Administrativo, um Diretor Financeiro, um Diretor de Projetos, um Diretor de Marketing, e um Diretor de Recursos Humanos.

Parágrafo Único: As funções de cada Diretoria serão definidas pelos respectivos regimentos.

Artigo 31 - Compete à Diretoria Executiva:

  1. a) executar as deliberações da Assembléia Geral do Conselho de Administração e do Conselho Fiscal;
  1. b) elaborar as demonstrações financeiras, relatórios de atividades e orçamento semestral, apresentando-os ao Conselho de Administração para exame de emissão de parecer, previamente à aprovação pela Assembléia Geral;
  1. c) receber e providenciar todas as formalidades necessárias à obtenção de imunidade e isenções fiscais;
  1. d) indicar os substitutos de Diretores no caso de impedimento temporário dos mesmos, sendo que, no caso do Diretor Presidente seu substituto temporário será obrigatoriamente um Diretor Executivo;
  1. e) indicar os substitutos de Diretores no caso de impedimento definitivo dos mesmos, sendo que, no caso do Diretor Presidente seu substituto definitivo será necessariamente um outro Diretor Executivo indicado pela própria Diretoria Executiva e aprovado pelo Conselho de Administração.

Artigo 32 - Em quaisquer atos que envolvam obrigações sociais, inclusive assinatura de contratos, emissão de cheques, ordens de pagamento, e na constituição de procuradores, a ADM-Executiva Júnior será representada por dois diretores em conjunto.

CAPÍTULO VIII - DO CONSELHO FISCAL

Artigo 33 - O Conselho fiscal é o órgão deliberativo da ADM-Executiva Júnior, composto por  5 (cinco) membros efetivos, designados e eleitos pela Assembléia Geral Ordinária para mandato de 1 (um) ano.

Artigo 34 - O Presidente do Conselho Fiscal será escolhido pelos membros do mesmo órgão.

Artigo 35 - As reuniões do Conselho Fiscal serão instaladas somente com a presença de 2/3 de seus membros e as decisões serão tomadas por maioria absoluta dos votos, observadas as disposições estabelecidas no presente Estatuto.

Parágrafo Único – O Conselho Fiscal reunir-se-á sempre que se fizer necessário. As reuniões deverão ser convocadas pelo Presidente ou a requerimento de no mínimo 2/3 de seus membros, ou a requerimento da Diretoria Executiva.

Artigo 36 - Em caso de vacância no Conselho Fiscal, seu presidente elegerá um substituto para ocupar o cargo até a realização de eleição de nova Diretoria Executiva em Assembléia Geral Ordinária.

Artigo 37 - Compete ao Conselho Fiscal, seu presidente elegerá um substituto para ocupar o cargo até a realização de eleição de nova Diretoria Executiva em Assembléia Geral Ordinária.

Artigo 38 - Compete ao Conselho Fiscal:

I – Examinar e emitir parecer sobre as demonstrações financeiras, relatório de atividade e orçamento apresentados pela Diretoria Executiva a cada reunião Ordinária do Conselho, sendo que estes pareceres serão previamente aprovados pelo Conselho e depois submetidos à aprovação do Conselho de Administração.

II – Tomar posse juntamente com a Diretoria Executiva

III – Respeitar o Estatuto, bem como as deliberações da Assembléia Geral e do Conselho de Administração.

CAPÍTULO IX - DISPOSIÇÕES GERAIS

Artigo 39 - O exercício social coincidirá com o ano civil.

Artigo 40 - Os resultados da ADM-Executiva Júnior que se verificarem ao final de cada exercício social serão compulsoriamente reinvestidos nas atividades por ela conduzidas.

Artigo 41 - A remuneração será feita calculando-se as horas técnicas, respeitando-se a especificidade de cada projeto.

Parágrafo Único: Os participantes de todos os projetos externos receberão da ADM-Executiva Júnior reembolso correspondente às horas técnicas dedicadas aos mesmos.

Artigo 42 - Os Membros Efetivos que se formarem ou forem afastados de seus cargos no exercício de seus mandatos serão substituídos da seguinte forma:

  1. a) sendo diretor, caberá à Diretoria Executiva indicar o substituto e encaminhar seu nome ao Conselho de Administração para aprovação; e
  1. b) sendo conselheiro, caberá ao Conselho de Administração indicar o substituto e encaminhar seu nome à Assembléia Geral para aprovação.

Artigo 43 - Permanecem como Membros Efetivos da ADM-Executiva Júnior, os alunos que no momento de sua formatura estejam participando de alguma atividade como consultor, diretor ou conselheiro até que termine seu mandato ou seja substituído.

Artigo 44 - A ADM-Executiva Júnior será extinta, a qualquer tempo por deliberação de no mínimo 2/3 dos Membros Efetivos em Assembléia Geral convocada para esta finalidade.

Parágrafo Único: Em caso de extinção da ADM-Executiva Júnior, o seu patrimônio será destinado à Faculdade Barretos.

Artigo 45 - O presente Estatuto poderá ser modificado a qualquer tempo, em Assembléia Geral, pelo voto afirmativo de maioria absoluta dos Membros Efetivos Ativos da ADM-Executiva Júnior.

Artigo 46 - Os casos omissos neste Estatuto serão deliberados pela Diretoria Executiva, com posterior aprovação pelo Conselho de Administração.

Artigo 47 - Fica estabelecido o Fórum da Comarca de Barretos para resolver quaisquer casos pendentes que provenham de problemas relativos ao presente Estatuto.

Artigo 48 - Este Estatuto vigorará por tempo indeterminado a partir da data de seu registro.